top of page
Buscar

O eSports como esporte!

Brasília, 10 de Abril de 2023


Muito tem se questionado sobre a regulamentação e reconhecimento dos eSports como esporte, principamente no universo Olímpico.


Jogos eletrônicos e esportes Olímpicos possuem um relacionamento de longa data, mas poucos se recordam, e por isto, como já dizia um belo seriado da minha infância: "Senta que lá vem história!"


Em 1983, The Activision Decathlon, popularmente conhecido como Decathlon, foi um jogo eletrônico de esportes escrito por David Crane para o Atari 2600 e publicado pela Activision no qual até quatro jogadores podiam competir nos dez eventos diferentes de um decatlo da vida real.


Um dos mais populares jogos eletrônicos de esporte da geração Atari 2600, Decathlon possuía as dez modalidades do decatlo, mostradas de forma criativa e inédita: os 100 metros rasos, salto em distancia, arremesso de peso, 110 metros com barreiras, lançamento do disco, lançamento de dardos, 400 metros rasos, salto com vara, salto em altura, e a longa prova dos 1500 metros rasos.


O jogo ficou marcado para sempre para os usuários como o "Quebra-Joystick", pois os movimentos laterais de corrida que eram necessários quebravam um pino interno do Atari, e sim...fui um dos usuários desta geração que a cada 15 dias deixava meus pais de cabelo em pé por ter que levar o joystick para o conserto na única loja que fazia este tipo de serviço em Belo Horizonte/MG.


O comercial do jogo, que foi ao ar em 1983, era estrelado pelo medalhista de ouro olímpico Bruce Jenner e podemos dizer que esta foi a 1ª geração de esportes Olímpicos e Games.


Em 2007 podemos considerar aquela que seria a 2ª geração de esportes Olímpicos e Games, com o lançamento Mario & Sonic at the Olympic Games para o console Wii.

Produzido pelas gigantes , e diga-se de passagem ,concorrentes no mundo dos games, Nintendo e Sega uniram seus mais famosos personagens de franqui, Mario e Sonic , em um jogo baseado nos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, na China.


O grande diferencial desta geração era o console Wii que possuia um sensor de movmentos, mapeando todo o corpo do usuários e fazendo com que ele simulasse os movimentos das modalidades para poder jogar. Uma franquia que perdura até hoje em todas as edições posteriores dos Jogos Olímpicos.


Mas, qual seria então a definição de eSports e esporte?


O Comitê Olímpico Internacional (COI) faz uma distinção entre "esporte" e "modalidade". Um esporte, nos termos olímpicos, é uma modalidade ou um conjunto de modalidades representado por uma Federação Internacional.


Esporte e desporto é toda a forma de praticar atividade física,de forma metódica, com objetivos competitivos, que por meio de participação casual ou organizada, prioriza manter ou melhorar as habilidades físicas, proporcionando diversão aos participantes e, em alguns casos, entretenimento para os espectadores.


Já o autor deste texto possui a seguinte linha de pensamento em relação aos eSports:


- Esporte Eletrônico: toda e qualquer modalidade esportiva que possa ser reproduzida em consoles para jogabilidade por intermédio de controles, sejam eles para PC´s, mobile ou consoles em geral. Ex: Futebol, Basquete, Tênis, Baseball.


- Esporte Virtualizado: todo e qualquer esporte que possa ser reproduzido no meio eletrônico, utilizando simuladores que proporcionem o esforço físico real a modalidade similar realizada em ambiente outdoor. Ex: Ciclismo, remo, corrida, tênis, golfe.


- Jogos Eletrônicos: todo e qualquer jogo que possua uma plataforma de estratégia desenvolvida para consoles, sejam eles PC´s, mobile ou consoles em geral. Ex: League of Legends, Battle Royale, Counter Strike, Xadrez.

(Abreu,2023)


A 3ª geração de esportes Olímpicos e Games.


Não é de hoje que o Comitê Olímpico Internacional (COI), assim como o autor deste texto, abordam a implantação dos eSports nos Jogos Olímpicos; vide matéria de 2021.

Em janeiro de 2020, antes do mundo ser paralizado pela pandemia de COVID-19, o Presidente do COI, Sr. Thomas Bach, deu um depoimento durante coletiva de imprensa oficial, aos ser questionado sobre a introdução dos esportes eletrônicos no movimento Olímpico.



Uma modalidade, para se tornar Olímpica, passa por um longo processo no qual:


Surgimento da modalidade>criação das ligas da modalidade>criação das federações estaduais>criação da confederação nacional>criação da federação internacional> pleito junto ao movimento Olímpico> reconhecimento como modalidade Olímpica.


Mas o que vemos hoje é uma INVERSÃO DA PIRÂMIDE, na qual não somente o COI lidera este processo, mas também as federações internacionais das modalidades que já aderiram a suas versões virtuais.


A Olympic Virtual Series aconteceu de 13 de maio a 23 de junho de 2021 com o objetivo de conexão entre o esporte físico mundial com os esportes virtuais e a comunidade que usa jogos esportivos virtuais ou com simuladores, proporcionando a oportunidade de engajamento no movimento Olímpico.

fonte: COI

A Olympic Esports Series (OES) é uma competição esportiva virtual e simulada global criada pelo COI e em colaboração com Federações Internacionais (IFs) e editoras de jogos.

O evento teve início no dia 1º de março, quando jogadores profissionais e amadores de todo o mundo foram convidados a participar das rodadas de qualificação nos jogos em destaque que culminará em finais presenciais ao vivo na primeira Semana Olímpica de Esports, de 22 a 25 de junho de 2023 em Cingapura.


O UCI Cycling Esports World Championships é um campeonato mundial de ciclismo virtual organizado pela Union Cycliste Internationale (UCI). A primeira edição foi realizada em 9 de dezembro de 2020, apresentando um evento masculino e feminino em uma rota virtual de 50 quilômetros .



Em 23 de novembro de 2021, a World Triathlon e a Super League Triathlon anunciaram uma parceria para desenvolver uma série global de esports com o obajetivo de consagrar os campeões mundiais oficiais de triathlon esport.


O World Taekwondo previu o futuro com o Virtual Taekwondo - um esporte virtual imersivo e sem contato, que usa rastreamento de movimento altamente preciso e em tempo real dos movimentos de corpo inteiro de um jogador para transformar a habilidade do taekwondo em uma competição virtual.


O Brasil no cenário dos eSports.


Sem sombra de dúvidas o Brasil é sim referência mundial no cenário dos eSports, visto o grande sucesso dos streamers Gaules e Nobru, assim como equipes como Loud, Furia e Vivo Keyd que possuem uma estrutura organizacional e de patrocinadores nas quais muitos times/equipes/clubes de esporte considerados tradicionais não chegam a 1% da receita gerada ou captada.


Mas quando falamos de modalidades Olímpicas, estamos ainda engatinhando, pois existe um pré-conceito sobre as modalidades serem consideradas esporte competitivo; mas contra fatos e dados não existem argumentos.


Desde 2020, incialmente com o CICLISMO VIRTUAL BRASILEIRO , e agora com a expansão para as COMPETIÇÕES VIRTUAIS BRASILEIRAS, com a introdução da corrida de rua e remo, somos os únicos a desenvolver este formato de competições e ações na américa latina, além de sermos reconhecidos pelo Consórcio Mundial de Esportes Eletrônicos (WESCO), pela Confederação Brasileira do Desporto Eletrônico (CBDEL) e pela Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU).



Fomos os primeiros no MUNDO a realizar uma competição real e virtual de forma simultânea, em parceria com o L´Etape Brasil by Tour de France.





Também fomos os primeiros no MUNDO a desenvolver um sistema de LIVE TRACKING com avatar em um percurso real para competições de corrida de rua.












Além disto conquistamos o 3º lugar no Prêmio Esporte e Inovação realizado pelo Comitê Olímpico do Brasil no ano de 2022.











Ah....mas o Virtual não é igual ao real! SERÁ?



Ricardo Alcici, bi-campeão brasileiro de ciclismo de pista efetuou um treino utilizando rolo interativo e software de realidade aumentada (percurso com dados de GPS e vídeos reais) e 10 depois competiu na prova real....analise os números e tire suas próprias conclusões.


OK...mas muitos ainda irão dizer...Isso não é competição!


Ricardo Alcici x Franklin Almeida

Bi-Campeão Brasileiro de Ciclismo Campeão Pan Americano de Ciclismo


O futuro já chegou aos esportes Olímpicos, mas não significa que irão acabar com as modalidades outdoor, apenas agregar categoria a modalidade esportiva atraindo um público jovem e conectado.




Schubert Abreu

  • Idealizador das Competições Virtuais Brasileiras

  • Oficial Técnico - Nivel 2 | World Triathlon

  • Comissário Estadual de Ciclismo de Estrada

  • IRONMAN Finisher

  • Triatleta Amador desde 1994

  • Fã da Marvel, DC Comics e aprendiz de Jedi



Comments


whatsapp-icone-1.png
bottom of page